HISTÓRICOS | TIME OUT DE DAVE BRUBECK (22H) E CUCA TEIXEIRA JAM REUNION (24H)

sábado | 29_04 22h


standards

contemplativo

22h | Série Discos Históricos | Time Out de Dave Brubeck por Leonardo Muniz, Daniel Grajew, Maurício Caetano e Gibson Freitas

Dando continuidade à Série Discos Históricos, o saxofonista  Leonardo Muniz virá ao palco do CCMI na companhia do pianista Daniel Grajew, do baixista Gibson Freitas e do baterista Maurício Caetano para apresentar o repertório de um dos álbuns mais conhecidos e admirados do Jazz, ‘Time Out’, do grupo The Dave Brubeck Quartet.

O álbum foi lançado em 1959 e caracteriza-se pelo pioneirismo no uso de compassos inusitados no jazz, como ocorre com as composições ‘Take Five’) e ‘Blue Rondo a la Turk’. O quarteto é composto por Dave Brubeck (piano), Paul Desmond (saxofone alto), Eugene Wright, (contrabaixo) e Joe Morello (bateria).

Para Daniel, “Time Out” é um portal criado por Brubeck para os ritmos ímpares, tão comuns no oriente mas pouco usuais no universo do jazz até então. Uma concepção que poderia parecer exótica ou de difícil compreensão acabou se tornando um dos discos mais populares do jazz, caindo no gosto de todas as gerações seguintes.

Vindo de uma família musical, Dave Brubeck (1920 – 2012) começou a aprender piano aos 4 anos de idade com sua mãe e violoncelo aos 9. Após se formar em 1942 na University of the Pacific, em Stockton (Califórnia), ele ingressou no exército e serviu durante a Batalha do Bulge em Ardennes, onde ele Paul Desmond.

Nesse show, temas como “Take Five” e “Blue Rondo À La Turk”, assim como temas menos conhecidos mas não menos interessantes, como “Castillian Drums” e “Blue Shadow In The Street”.

Brubeck estudou composição com renomados compositores como Darius Milhaud e em 1951 criou seu quarteto.

Com Leonardo Muniz (sax), Daniel Grajew (piano),  Maurício Caetano (bateria) e Gibson Freitas (baixo).

 24h | Cuca Teixeira Jam Reunion |  JazznosFundos

O baterista Cuca Teixeira vem ao palco do JazznosFundos para apresentar um repertório de jazz-funk cheio de groove com um timaço formado ainda por Wilson Teixeira, Daniel D’Alcântara, Gabriel Gaiardo e Sidiel Vieira!

O baterista Cuca Teixeira cresceu em ambiente musical e profissionalizou-se com apenas 15 anos. É filho do baterista Edegar Teixeira e da cantora Sara Chretien, e irmão do saxofonista Wilson Teixeira. Participaram de sua formação musical e dos primeiros passos de sua vida profissional , principalmente, os seus pais, seu irmão e o multi instrumentista Arismar do Espírito Santo.

Com reconhecido talento, Cuca abrange com maestria vários gêneros musicais, como jazz, música popular brasileira, rock. Trabalhou com Maria Rita, tocando nas gravações de vários de seus CD’s, bem como participando de suas turnês. E já tocou com grandes mestres da música brasileira como Hermeto Pascoal, Dominguinhos e Raul de Souza. Em nossos palcos participa de diversas formações de sucesso, entre elas, o Jazz Brothers e o Projeto Unknown.

Um super quinteto com total interação musical e liberdade para seus improvisos inspirados em uma noite de muito groove!Com Cuca Teixeira (bateria), Wilson Teixeira (saxofone), Daniel D’Alcântara (trompete), Bruno Cardozo (piano) e Sidiel Vieira (baixo).


Ingresso antecipado: R$30

Ingresso na porta: 40

Próximos Shows:

quinta | 04_05 21h30

Vinicius Gomes Quinteto (21h30) e Igor Willcox 4Tet (23H30)

Quintemporâneas apresenta o novo trabalho de dois grandes - e jovens - instrumentistas da cena de São Paulo: às 21h30, o guitarrista, violonista e compositor Vinicius Gomes vem celebrar o pré-lançamento de seu primeiro álbum que faz diálogo entre o universo brasileiro e o jazz moderno; e às 23h30, o baterista Igor Willcox vem com seu quarteto lançar seu disco “#1”, que traz seu som sempre enérgico com muito jazz, funky e fusion!

qui 4 Mai | 21h30 | Vinicius Gomes Quinteto | pré-lançamento do disco ‘Resiliência’ | SDA

O guitarrista, violonista e compositor Vinicius Gomes vem celebrar o pré-lançamento de seu primeiro álbum inteiramente autoral, ‘Resiliência’, dedicado ao diálogo entre o universo brasileiro e o jazz moderno. Em sua companhia um time de craques: Rodrigo Ursaia (saxofone), Gustavo Bugni (teclados), Bruno Migotto (contrabaixo) e Edu Ribeiro (bateria).

Vinicius tem se apresentado com importantes compositores e intérpretes, como Rosa Passos, Jane Duboc, Arthur Verocai e Oswaldinho do Acordeon, além de nomes da música instrumental como Toninho Ferragutti, Thiago Espirito Santo, Robertinho Silva e Mestrinho. Também tem trabalhado com orquestras como OSESP e Jazz Sinfônica de SP.

Possui mestrado pela ECA/USP, no qual escreveu o trabalho "Helio Delmiro - Composições para Violão Solo", vencedor do PROAC 2015 na categoria música instrumental.

Vinicius Gomes tem participando de diversos trabalhos autorais na música instrumental brasileira com músicos como Daniel de Paula, Guilherme Ribeiro, Rafael Abdalla e Alexandre Silverio, além de ser um dos líderes do grupo KVAR. Já se apresentou em festivais como: Festival Internacional de Jazz de Buenos Aires (ARG), Festival de Jazz do Capão (Chapada Diamantina – BA), Jazz a La Calle (Mercedes – Uruguai), Bourbon Street Festival (Paraty – RJ), FIMUPA (Belém – PA) Festival de Jazz de La Plata (ARG), Festival de Garanhuns (PE), SESC Jazz & Blues (SP) entre outros.

Com Vinicius Gomes (guitarra), Rodrigo Ursaia (saxofone), Gustavo Bugni (teclados), Bruno Migotto (contrabaixo) e Edu Ribeiro (bateria).


Entrada: R$25

Lista de Desconto: com nome na lista os primeiros 15 clientes a chegarem ganham uma cerveja long neck!

sexta | 05_05 22h

Jaiz in 4 (22h) e Bob Wyatt Quarteto(24h)

Noite de clássicos da música instrumental brasileira com Jazzin4, às 22h, grupo liderado por Roney Stella; e standards de jazz com o grande baterista, Bob Wyatt, às 24h, com seu quarteto formado ainda por Djalma Lima, Edson Sant’anna e Bruno Migotto. 

22h | Jaiz in 4 | Sala do Autor

Jaiz in 4 chega pela primeira vez ao palco do CCMI! Apresentando clássicos da música instrumental brasileira e temas autorais, Jazz in 4 é formado por músicos bastante atuantes da cena paulistana: o trombonista e idealizador do grupo Roney Stella, o pianista Carlos Roberto, o contrabaixista Evaldo Guedes e o baterista Celso de Almeida, que essa noite não poderá estar presente e será substituído por um baterista à altura: Edu Nali.

Em dezembro de 1998 Jaiz in 4 lançou seu primeiro CD recebendo significativos elogios da crítica especializada e em dezembro de 2003 foi convidado a participar do 1º Simpósio de Música Instrumental Brasileira, realizado no SESC Vila Mariana. Em fevereiro de 2005 seu primeiro CD participou da programação da rádio americana KZUM no programa “The Best of Brazil”, tendo destaque no programa com a execução quase integral do CD, e ainda com comentários sobre os músicos da banda. No mesmo mês foi selecionado entre grupos de todo o país a participar da segunda “Mostra Brasil Instrumental” realizado no Conservatório Dramático Musical de Tatuí”.Participou a convite da direção artística do Teatro Municipal de São Paulo da série Matine no Municipal nos anos de 2007 e 2009. 

Com Roney Stella (trombone), Carlos Roberto (piano), Evaldo Guedes (contrabaixo) e Edu Nali (bateria).

24h | Bob Wyatt Quarteto | Jazz nos Fundos

O Bob Wyatt Quarteto destaca um time de excelentes improvisadores apresentando uma seleção de jazz standards e musicais da própria autoria. Trabalhando juntos desde 2008, eles mostram uma integração e unidade achados somente em grupos veteranos de Jazz. 

Atuando no Brasil desde 1981, tocou com Paulo Moura, Leni de Andrade, grupo Pau Brasil (incl. Free Jazz Festival, 1985), João Donato, Maurício Einhorn (incl. Free Jazz Festival, 1985), Hélio Delmiro, Nivaldo Ornellas, Chet Baker (Free Jazz Festival, 1985) Idriss Boudrioua (Free Jazz Festival, 1986), Nelson Ayres, Proveta (Nailor Azevedo) e a Banda Savana, entre outros. Formou, em parceria com Alexandre Mihanovich, a Banda ReBop, em 1992,que realizou apresentações no SESC Paulista, Conservatório “Dr. Carlos de Campos” de Tatuí e em casas noturnas paulistanas, entre outros lugares. 

Sua vida profissional se iniciou treze anos de idade em um conjunto que tocava em festas de casamento e bailes. A partir dos catorze anos começou a participar de uma big band patrocinada por um clube local. Em 1967 ingressou na Marinha dos EUA e, durante seu período de serviço, estudou na Armed Forces School of Music, na base de Little Creek, Virginia. 

Depois de várias tournées, incluindo shows nas ilhas do Caribe e países mediterrâneos, regressou aos EUA e ganhou uma bolsa para estudar no Departamento de Música da Memphis State University. Nesta época, participou de vários festivais regionais de jazz de bandas universitárias. Em 1973, Bob Wyatt recebeu o Prêmio de “Melhor Desempenho no instrumento” no American College Jazz Festival, importante festival nacional realizado no John F. Kennedy Center for the Performing Arts em Washington, DC. 

Com Bob Wyatt (bateria), Djalma Lima (guitarra), Edson Sant’anna (piano) e Bruno Migotto (baixo).


Entrada: R$30

Lista de Desconto: com nome na lista os primeiros 15 clientes a chegarem ganham uma cerveja long neck!

sábado | 06_05 22h

Silibrina (22h) e Cacá Malaquias Quarteto (24h)

Noite cheia de brasilidades e improvisos. No primeiro show da noite, o lançamento do disco ‘Raio, do 
grupo Silibrina liderada por Gabriel Nóbrega, filho do multiartista Antonio Nóbrega. A noite segue quente, com o showzaço do saxofonista, flautista e clarinetista, Cacá Malaquias, fundador da Banda Mantiqueira, com quem gravou todos os discos e se apresenta até hoje como convidado especial. .

22h | Silibrina |  Sala do Autor 

Música brasileira. Depois de um ano de atuação com apresentações no Auditório Ibirapuera, FAM 2016, JazzB, Jazz nos Fundos e Teatro Brincante, a banda de jazz brasileiro Silibrina, liderada por Gabriel Nóbrega, filho do multiartista Antonio Nóbrega, lança seu primeiro álbum: ‘O Raio’.

São nove composições originais, todas repletas de brasilidade e improvisos. Gabriel Nóbrega, que além de pianista assina as composições e arranjos do septeto, é acompanhado por Ricardinho Paraíso no baixo, Jabes Felipe na bateria, Matheus Prado na percussão, Wagner Barbosa no saxofone, Natan Oliveira no trompete e Raphael Braga na guitarra — músicos de referências diversas, vindos de diferentes regiões do Brasil e extremamente atuantes na cena musical paulistana.

Silibrina traz uma sonoridade dançante, num show repleto de brasilidade, jazz e improvisos!

Com Gabriel Nobrega (piano), Natan Oliveira (trompete), Wagner Barbosa (saxofone), Raphael Braga (guitarra), Ricardinho Paraíso (baixo), Luciano Fagundes (percussão) e Jabes Felipe (bateria).


24h | Cacá Malaquias Quarteto | JazznosFundos

O saxofonista, flautista e clarinetista Cacá Malaquias foi fundador da Banda Mantiqueira, com quem gravou todos os discos e se apresenta até hoje como convidado especial. Essa noite virá ao CCMI na companhia de  Iuri Salvagnini (teclado e acordeon), Guy Sasso (contrabaixo) e Nahame Casseb (bateria e percussão).apresentar um repertório versátil, composto por composições próprias e clássicos da música instrumental brasileira. 

Como instrumentista, Cacá participou de inúmeras gravações em trabalhos de variados artistas nacionais e internacionais como Raul Seixas, Leila Pinheiro, Leandro e Leonardo, Trio Mocotó, Rita Lee, Ray Conniff, Natalie Cole, Julio Iglesias e de avançados movimentos musicais como o Lira Paulistana e festivais como o MPB Shell da Rede Globo.

Cacá começou a aprender música aos 8 anos de idade tocando clarinete na banda de música de Carnaíba, que era dirigida pelo seu pai. Aos 10 anos, passou a tocar sax alto e em seguida veio a flauta e toda a família de saxofones. Por um período de 10 anos participou de várias formações musicais tocando forró pé-de-serra com os sanfoneiros da região do Pajeú. 

Em 1978, mudou-se para São Paulo onde fez cursos de aperfeiçoamento musical com Cláudio Leal Ferreira e Armando Ferrante. Nesse período teve a oportunidade de relacionar-se com importantes músicos, como Maestro Branco, Walmir Gil, Proveta, Roberto Sion, Guilherme Vergueiro e Nico Assumpção. 

Em 2008, de volta à sua cidade natal, passou a dirigir a Escola de Música de Carnaíba, onde trabalha com a formação de novos instrumentistas. 

Com Cacá Malaquias (saxofones, flauta, pife e percussão), Iuri Salvagnini (teclado e acordeon), Guy Sasso (contrabaixo) e Nahame Casseb (bateria e percussão).

https://www.youtube.com/watch?v=C_z-eKz-_Aw


Entrada: R$30

Lista de Desconto: com nome na lista os primeiros 15 clientes a chegarem ganham uma cerveja long neck!

quinta | 11_05 21h30

QUINTEMPORÂNEAS | Hot Jazz Club (21h30) e Seo Manouche (23h30)

Quintemporâneas traz noite especialíssima de Jazz Cigano! No primeiro show, às 21h30, Hot Jazz Club, grupo pioneiro no jazz manouche no Brasil, há mais de 15 anos, devotadamente inspirado pela sonoridade de Django e Grappelli, mas com muita personalidade e originalidade. Em seguida, show do contrabaixista Gilberto de Syllos - o Seo Manouche -,  que reúne virtuosismo e humor e nesta noite apresenta o repertório do seu recém-lançado disco ‘Cavaquinho de Itu’, em parceria com o escritor e letrista Carlos Castelo, um dos criadores do grupo musical Língua de Trapo. 


22h | Hot Jazz Club | JazznosFundos

Hot Jazz Club é grupo pioneiro no jazz manouche no Brasil há mais de 15 anos. O grupo é formado por Ernani Teixeira (violino), Marcelo Modesto (violão cigano) e Gilberto de Syllos (contrabaixo acústico). 

Embora nascido devotadamente inspirado pela sonoridade de Django e Grappelli, o grupo sempre construiu sua identidade musical para longe da mera vocação de cover do estilo: desde seu primeiro disco (Matisse - 2004), o grupo faz questão de usar a linguagem jazzística cigana para abordar também temas populares nacionais e internacionais e até mesmo incorporar ao gênero estéticas mais modernas. Seus últimos discos (Caravane - 2014; Chama - 2016) demonstram a consistência desse compromisso: no repertório da banda, ao lado dos clássicos manouches, comparecem desde Cartola, Noel, Pixinguinha e Baden Powell até Beatles, BeeGees ou Michael Jackson, sempre relidos com o sotaque vibrante e bem humorado do gypsy jazz.

Com Ernani Teixeira (violino), Marcelo Modesto (violão cigano) e Gilberto de Syllos (contrabaixo acústico). 


 24h | Seo Manouche | Sala do Autor

O contrabaixista Gilberto de Syllos, que adotou o nome artístico Seo Manouche, é o primeiro artista brasileiro a fazer manouche com virtuosismo e humor. Além disso, incorporou raízes da música caipira, trazendo à luz um universo próprio e singular. Syllos virá apresentar o repertório do seu recém-lançado disco ‘Cavaquinho de Itu’, em parceria com o escritor e letrista Carlos Castelo, um dos criadores do grupo musical Língua de Trapo. 

O repertório é formado por canções autorais em estilo manouche e também alguns sucessos, com destaque para a interpretação vocal de Seven Nation Army (White Stripes) e temas brasileiros como Aquarela do Brasil (Ary Barroso), Louras ou Morenas (Vinícius de Moraes) e Com que Roupa (Noel Rosa), presentes com uma leve e agradável pitada de humor. Além de uma exímia execução estilística de cada música, o Seo Manouche traz na interpretação vocal de cada canção uma performance distinta, que garante momentos de diversão ao público.

Com mais de 30 anos de carreira profissional como contrabaixista e professor de música, Gilberto de Syllos é mestrando em música pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Tem CDs gravados e também tem participado constantemente de shows e gravações de diversos artistas como Ivan Lins, Lenine, Zeca Baleiro, Skank, Hermeto Paschoal, Lupa Santiago, Ná Ozzetti, Orquestra Sinfônica da Unicamp, Bina Coquet, Robin Nolan (Holanda), Paul Mehling (USA) e Thomas Walbum (Dinamarca). É fundador do grupo Blood Mary e os Caipirinhas e do trio Hot Jazz Club. Apresentou-se no “Django Amsterdam - 2017”, o festival global de gipsy jazz na Holanda.

Com Gilberto de Syllos (contrabaixo acústico e vocal), Bina Coquet (violão manouche) e Daniel Grajew (acordeon). 


Entrada: R$25

Lista de Desconto: com nome na lista os primeiros 15 clientes a chegarem ganham uma cerveja long neck!

sexta | 12_05 22h

Cubop! com Fernando Ferrer (22h) e Pepe Cisneros e Cuba 07 (24h)

Cubop! com Fernando Ferrer | Sala do Autor

Fernando Ferrer nasceu em Santiago de Cuba em 1962 e participou de grupos como “Ayer y Hoy”, “Los Latinos”, “Son Del Caribe”, “Raison”, “Cubanismo” e “AfroCuban All Stars”. Fez turnês pelos Estados Unidos, Canadá, México, Inglaterra, Espanha, Europa, Oriente Médio, Ásia, Ilhas do Mediterrâneo e em festivais como os de Vancouver, Montreux/Suíça, Holanda e Alemanha.
Nesta noite, ele vem ao nosso palco tocar clássicos do Latin Jazz, da Salsa e dos ritmos cubanos. Jazz para dançar a noite inteira.

Fernando Ferrer - (percussão e voz), Hanser Ferrer (piano), Franklin dos Santos (percussão), Carlos Ceiro (baixo), Rodrigo Bueno (bateria), Luis Cabrera (saxofone)

24h | Cubop! com Pepe Cisneros e Cuba 07 | JazznosFundos

Cuba 07 traz um repertório variado de clássicos do tradicional jazz americano. A mistura de cantos, ritmos latinos e afro-cubanos, fazem com que Cuba 07 tenha uma linguagem moderníssima do latin jazz, uma sincronização de três estilos muito marcantes do mundo musical (a rumba de Chano Pozo, jazz de Dizzy Gillespie, e a bossa nova de Tom Jobim), que formam as bases que tornam natural e diferente esta forma de improvisar.
Além das diversas casas de jazz de São Paulo e diversas matérias em jornais, revistas e internet, vale destacar que Cuba 07 já fez parceria com Roberto Sion e Orquestra Jazz Sinfônica Juvenil Tom Jobim, com Osvaldinho do Acordeão, Verônica Ferriani, e Marina de La Riva.
O grupo foi formado em 2009 sob a direção musical de Pepe Cisneros. Nascido na cidade de Guantánamo (Cuba), Pepe vive atualmente no Brasil e já trabalhou com Toninho Horta, Milton Nascimento e HB, Arismar do Espírito Santo, Céu, Caetano Veloso, Omara Portuondo, Sizão Machado, Elza Soares, como arranjador, produtor musical e apresentações em festivais e outras apresentações.
Com Pepe Cisneros (piano), Jorge Ceruto (trompete e percussão), Luis Cabrera (sax e percussão menor),  Sidiel (baixo), Rodrigo (Papito) Bueno (timbales), Pedro Bandera (percussão cubana).


Entrada: R$30

Lista de Desconto: com nome na lista os primeiros 15 clientes a chegarem ganham uma cerveja long neck!